vou escrever corendo então desculpa qualquer coisa

segunda-feira, 27 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Bem, tenho bastante coisa pra falar, mas estou escondido numa lan house, respondi a uns comentarios e fiquei feliz pois em duas das minhas moradas eu ganhei alguma coisa. No Kiss Kiss acheio os coelhinhos, e no onigiri entrei no top 4 o/(em terceiro lugar, mas eu entrei, não me tirem esse prazer Ò.Ó)
tenho que falar de algumas coisas da minha vida, e amanhã tento continuar a historia (já estou escrevendo no papel *-*).
primeiro fato legal:
depressão thau, não volte tão cedo u_ú: sim, eu melhorei muito minha auto-estima (acreditam que um garoto me secou hoje no metro?).
segundo fato legal:
fui no Oz Anime festivol e comprei orelhinhas e patinhas de Gato, é a coisa mais Kawaii/cutecute/gay que eu já vi, é lindo *-*. mas não fica exatamente "normal" eu usar isso pra cima e pra baixo, então tenho que esperar os proximos eventos
terceiro fato legal:
ganhei uma bolsa de estudos de 85% na Saga e um workshop gratuito, um curso de quase 2000 reais vai sair por 199 sem outros custos. Isso não é bom, é otimo *-*. além disso o curso é delicioso: Computação Grafica (que vale um tecnico no assunto *¬*)
Quarto fato legal:
eu estou feliz. Ok, isso não é exatamente legal, mas da pro gasto, não dá?
nossa estou saltitando (oh meu deus como eu estou Gay)
finalmente estou construindo a minha ponte.
Ponte, que ponte?
simples querido leitor, eu disse a minha mãe que era perdido demais para construir uma ponte (figurativamente falando, claro) pois eu sempre esquecia um detalhe.
a unica coisa que ela disse foi: acredito em você e vou fornecer o material ^^
sim, minha mãe viaja comigo, mas dai eu pensei, uma ponte tem que ligar duas coisas distantes. o que eu ligo?
Tudo que eu mais quero com tudo aquilo que eu mais preciso, que tal?
estou construindo essa ponte, e essa obra vai pra frente Ò.Ó
por hoje é só pessoal, volto em breve. pela primeira vez em muito tempo estou feliz.
Só feliz

5 Comentários

Vida no Onigiri

sábado, 25 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Viver aqui não é tãoooo entediante como se divulga, é simplesmente tranquilo...
Acordo tarde quase todo dia, talvez seja o cansaço de subir 36 andares de escada diariamente, talvez seja o excessivo tempo que passo cuidando do blog no pequeno computador instalado no meu quarto, ou talvez seja somente a boa e velha preguiça que nos bate e joga na cama contra nossa vontade.
o apartamento não é muito grande, mas tem seu charme. Primeiro porque não foi simplesmente conquistado, foi ganho de presente de alguém muito querido. Segundo por que tem a vantagem de vizinhos amistosos tanto em cima quanto em baixo, que acabam por ligar menos pro barulho desafinado que é resultado de minhas tentativas de canto em japonês. Terceiro por que as admistradoras ainda não acharam meu andar, já que eu colei uma placa escrito "vazio" onde se lia antes "apartamento 36". Em outras palavras é quase perfeito.
O lugar em si não é nem valorizado nem desvalorizado, valendo bastante no mercado sem pessoas loucas e desvairadas que venderiam o sangue pra me tirar do meu lar.
As cores das paredes de meu quarto estão um pouco desgastadas, talvez seja o tira/põe de posteres e cartazes de variados animes, mas eu acredito que o real motivo seja o fato de as paredes nunca terem sido repintadas desde que ganhei o apartamento, mantendo ainda os tons de rosa-pastel. Realmente, a preguiça faz mal.
O guarda-roupas é enorme, com caracteristicas arquitetonicas dignas de Leonardo da Vinci, ou é em outras palavras, velho. Dentro dele estão os mais variados cosplays que poderiam existir, desde aqueles que eu ainda usarei até aqueles que não combinam muito comigo (Sakura de SCC por exemplo), organizados de um modo ligeiramente abstrato...
Existe uma enorme janela que toma grande parte do quarto, é de uma transparencia límpida, sendo o lugar mais limpo em todo o apartamento. Ela abre completamente, de modo a causar a sensação de liberdade, como se você estivesse voando, ainda que por alguns segundos. é claro que isso gerou uma pequena aposta entre aqueles que já viram essa janela: "Quanto tempo ele demora pra cair dali?". Eu também apostei, afinal dinheiro é dinheiro, mas fui um pouco otimista apostando em "mais de 100 anos".
Ao lado da pequena cama de solteiro existe uma mesinha de cabeceira, duas gavetas ficam constantemente com as "tripas" para fora. Dentro delas ficam as cartas de Yu-Gi-Oh, Magic e outros jogos de otaku e/ou nerds, alem de uma caixa cheia de selos e memes com a inscrição "colocar no armário logo Ò.Ó".
existem ao todo na casa a singela quantia de 5 cómodos, mas todos eles tem o espaço necessário para acomodar minha pequena vida, minhas pequenas coisas. São eles o já citado quarto, a cozinha, o banheiro, a sala e um pequeno templo de orações.
sim, eu tenho um templo de orações dentro do meu apartamento, consagrado a Afrodite e Hades meus pais espirituais gregos. ao adentrar o quarto logo se percebe que ele não é um cómodo como os outros da casa, os tons das paredes misturam vermelho e preto, com pequenos símbolos desenhados em branco nas paredes e um enorme pentagrama apontando para o norte no chão. existe ainda um pedestal no meio da sala, com um enorme livro rosa aberto. Mas acho que ninguém com nível de inteligencia o suficiente mexeria nele sem falar comigo antes, certas coisas são perigosas só por existir.
tentei acender um incenso um dia, mas disparou um alarme com uma sirene vermelha e ouvi em alto e bom som a voz da Kih saindo de um alto falante:"Atenção moradores, isso não é um exercício, deslizem corrimão abaixo e salvem suas vidas!!". É claro que nunca contei pra ninguém que tudo foi por minha causa...
pelo menos ninguém se machucou... muito...
a cozinha tem um ar de natural, muitas frutas, vários armários, e uma geladeira dupla. grandes azulejos brancos e quadrados dão um ar de limpeza ao lugar. posso ser chamado de preguiçoso, mas não de porco. acho que essa é uma das minhas maiores preocupações: limpeza. tudo tem que estar limpo.
já fui contratado para limpar o predio de alguns amigos, mas nunca recebi nada por isso (caloteiros u_ú), mas isso me rendeu uma lição interessante. vou revelar um segredo que descobri no Onigiri. Todos os apartamentos tem uma pequena falha no mesmo ponto, fica atras da geladeira na cozinha.
atenção, esse é o maior segredo revelado desde o codigo da vince: as sindicas tem um elevador secreto! sim, vocês acharam mesmo que elas faziam a vistoria de 150 andares usando escada?
ele é pequeno e extremamente caustrofobico, e assim que você entra uma voz diz:"diga o andar por favor. gostaria de alguma arma?", respondi:"andar 36 por favor, nada de armas!", a mesma voz perguntou: "finalmente vai matar o morador deste andar?", respondi:" não, essa missão foi abortada!". Acho que isso salvou minha vida...
as sindicas me dão medo... mas isso não vem ao caso... acho...
A sala tem uma lareira artificial, um ar condicionado central e uma janela que da pro lado de fora do prédio onde se lê "saída de emergência". Um para quedas sempre fica a mão, acho que morando tão alto isso pode ser uma boa ideia (ou não...). Em cima da lareira ficam álbuns de fotos com as pessoas que gosto, no meio se vê um foto de todos da equipe do anime kawaii.
uma enorme tv de plasma com vários tipos de vídeo-games viciantes fica em frente a um enorme sofá de 5 lugares. Nas paredes alguns posteres do clamp e de arte moderna. Muitas vezes acabo dormindo na sala, e esse fato junto com os posteres acabam fazendo deste comodo um segundo quarto, que fica quase tão desarrumado quanto o primeiro, mas ainda assim limpo.
por ultimo, mas não menos importante temos o banheiro, feito de vários azulejos azuis de modo a fazer a parede parecer uma continuação do chão. Uma enorme hidromassagem preenche o canto, uma ducha o outro canto. no meio de tudo um enorme espelho me lembra de como sou feio e de como meu cabelo se recusa a alisar ou enrolar completamente, droga, acho que vou cortar careca. Perto da porta um armarinho com escova de dentes do Naruto e algumas presilhas e grampos é muito útil, todo branco e do tamanho certo. Dentro dele também se encontra uma pinça e um kit de barbear que ganhei do meu pai, acho que é a ilusão de me fazer mais homem que o fez me dar isso, sem muito sucesso, claro.
obrigado por visitar minha morada e ouvir da minha vida, todos serão sempre muito bem vindos pra jogar um video-game comigo xD.
depois de sair da porta só se avista uma coisa: uma placa em frente a minha porta: "atenção, não se aproxime desarmado. morador esquizofrenico."
só por que uma das minhas personalidades é uma vampira de mais de mil anos que adora torturar pessoas? isso é preconceito u_ú
mas acho melhor não tirar a placa...
só por precaução, claro...

5 Comentários

Alone- parte 3- Um nome para fantasmas

terça-feira, 21 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Eu sinto saudades das surras, elas doíam menos do que o que sinto agora. Estou tão cansado...
Três semanas se passaram desde que os vi pela ultima vez, e como sempre, estou sozinho. Deitado na cama do meu quarto eu fico meditando, tentando descobrir se eles de fato existiram, será que estou ficando louco com a solidão?
Mas não é possível, eu tenho uma caixa cheias de papeis de doces de uma marca que não existe "dica", o que pode significar isso?
Meus dias passam bem devagar, mas quando olho para trás tudo parece tão rápido, como se cada segundo impurase o outro pela pressa de ser lembrado o mais rapidamente possível, numa velocidade que me custa todos os detalhes. Qual era mesmo a cor dos cabelos dele? eu consegui mesmo ver os olhos dela?
Eu não sei as respostas, mas talvez, saiba o nome...
andei pensando muito sobre o assunto, não tenho com quem conversar sobre isso, logo acabo tendo que refletir sozinho, demorando mais tempo para perceber o que dois perceberiam em um instante.
Tinha que seguir três passos básicos de RPG, afinal, minha vida anda um verdadeiro jogo, e eu quero os controles de volta. Primeiro: reunir todas as pistas do mistério, segundo: explorar todas as regras que já haviam sido distribuídas e terceiro: tentar.
O primeiro era o mais fácil e o mais difícil ao mesmo tempo, tinha um sabor de primeiro passo, complicado por natureza, mas ainda assim já tinha sido revelado. "Somos como uma moeda, um é a cara o outro a coroa, sendo você o lado que nos cola e nos mantém juntos" ela disse, logo os dois devem ter o mesmo nome. É estranho, mas faz sentido. Seguindo esse raciocínio eu tenho o mesmo nome que os dois, afinal, eu também sou a moeda. Mas será que era o nome que esta na minha certidão de nascimento? poderia ser algo tão simples? acho que não...
Segundo: regras, tinha alguma? normalmente tem que ter... Será que?
peguei os papeis de bala, atrás de cada um tinha uma palavra, será que dava pra formar frases?
O... Seu... nome... é... a... palavra... que... te... define... além... de... todas... as... outras...
de primeira?fácil assim? tinha que ter algo errado, continuei juntando os papeis.
Corra... Cuidado... caminho... errado... melhor... ficar... sozinho...
já sabia meu nome, era tão simples, e agora? seguia os conselhos de papeis de bala ou encontrava fantasmas que me amavam?
nada é pior que a solidão, nem a dor,nem as surras, nada. Eu não ia ficar sozinho!
-eu sei o nome de vocês!- gritei dentro do meu quarto
dois seres se formaram diante de mim em uma velocidade assustadora, mas eles não tinham forma, pareciam uma estranha mistura de geleia com massa de modelar.
-diga nosso nome mestre- pediram numa voz que eu não reconhecia.
-Alone, aquele que mesmo acompanhado esta sozinho!- minha voz não falhou, mas eu estava com medo, e se eu estivesse errado?
-não esta- disse o fantasma homem- e enquanto estivermos com você não poderá mais estar sozinho, mas cuidado, se você transformar seu nome em contradição desapareceremos assim como aparecemos, da névoa.
não foi por querer, mas uma lagrima escoreu de meus olhos, não estava mais sozinho, mesmo que ainda estivesse.
-obrigado- disse chorando.

4 Comentários

A gente pensa, dai a gente para...

sábado, 18 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Venho pensando a algum tempo em varias coisas, pode parecer estranho para você que é uma pessoa normal, mas eu normalmente penso em absolutamente tudo que esta acontecendo comigo, colocando o que acho especialmente importante em destaque, como se refletir me fizesse ir mais além, melhorar sempre.
Não tenho me esforçado como devo em nada, pode ser um pouco emo falar isso -e é provável que seja- , mas sinto uma tristeza enorme por isso. Sinto que minhas palavras andam perdendo aos poucos a magica que tinham quando foram criadas, secando aos poucos como carnes ao sol (que exemplo tosco), perdendo aos poucos todo o poder de encantar que já tiveram.
Tenho me torturado bastante, fazendo coisas que eu não deveria fazer, mas que por algum motivo faço. Hoje mesmo, fiquei ouvindo poesias de um garoto que eu gosto mesmo sabendo que os poemas não eram pra mim. E enquanto ele falava da beleza dos eclipses, sobre como essa beleza se parecia com a beleza de sua amada, eu ficava calado pensando: meu deus, eu devo ser uma pessoa ridícula...
Sim, ando me sentindo ridículo, acho que de tudo que sinto essa é a pior parte. Sou um GAROTO que tem 17 anos, não tem namorada, não tem namorado, escuta um "cala a boca" quase sempre que começa a falar com os amigos da escola, não tem emprego, não tem perspectiva de vida nenhuma e que ainda acha que um dia vai ter alguém interessado nele.
Bem, se eu fosse uma pessoa deslumbrante de linda pode até ser que um dia aparecesse alguém, mas vamos assumir, eu não sou uma pessoa deslumbrante de linda, tenho a baixa autoestima, mas vamos numerar o por que:
1º) nasci lindo, mas algo se perdeu no caminho.
2º)90% das pessoas que me conhecem não sentem absolutamente nada por mim e/ou me odeiam (e consigo encaixar grande parte dos meus familiares aqui)
3º)amo gente que não sente isso por mim, gerando danos pra mim e para essas pessoas
Precisa de mais?
sinto que sim, mas estou sem inspiração para enumerar, talvez o faça outro dia.
Hoje tive mais uma discussão com a minha mãe, sendo que depois da conversa com a minha tia estava até me sentindo mal com a ultima discussão. É claro que ela explorou todos os aspectos negativos da minha vida, e adivinha o culpado de absolutamente tudo? A Internet!
Sim, é claro, que como sempre a maior vila intergalatica do mundo a Internet quer dominar a minha cabeça, afinal, sou a peça chave em uma conspiração mundial que pode matar o presidente Obama Ò.Ó
sim, estou com raiva de novo, e estou com raiva com o fato de estar de raiva, e também com o fato de estar com raiva do fato de estar com raiva e... bem... você entendeu, estou com muita raiva.
é claro que minha mãe fez uma ameaça, e tem grandes chances de cumprir a mesma: cortar de vez a internet, e não adianta falar pra ela:"pense na minha loba virtual, quem vai alimentar ela?" pq a Sakura já se adiantou:"vc não tem uma loba virtual"
Renoth:vc me entregou T_T
Sakura:cala a boca e termina a postagem u_ú
Renoth:soh pq eu quero e não pq vc tah mandando u_ú
Sakura: sei... ¬¬'
emfim, a discução foi feia e ela decidiu montar acampamento na sala (literalmente), ou seja, não vou poder madrugar como sempre faço(na verdade vou ver tv no quarto dela a noite toda e ela não sabe(hoho, vingança)), perdoem-me por isso...
mas como diria meu professor de Química:"não se preocupem, isso não altera nada, vcs não vão passar num vestibular bom de qualquer forma...", sim, ele esta tentando nos animar... não é muito bom nisso...
também tem o livro de auto-ajuda que ele vai escrever:"Nem Jesus te ama!", eu já falei pra ele que vai ser um best-seller e vai gerar uma onda de suicídio em massa nunca antes vista, mas acho que essa é a intenção dele...
perdi o meu direito de chorar, clinicamente falando, se eu chorar mais eu fica cego por falta de agua no olho... então eu toh rindo =3
a verdade é que a Mimy e a Vick tem me animado muito, me contando verdades e mentiras que eu gosto de escutar, muito obrigado, muito obrigado pelas aulas de historia também Mimy, eu tomarei decisões pelos outros, mas vou decidir por mim cuidar das pessoas que eu gosto. Nunca vou esquecer de vcs duas, obrigada.
eu devo ser uma pessoa ridícula...
e não o digo por ignorância,
o digo por me conhecer tanto
mas agora tanto faz,
no meu mundo frio o amor morreu

que direito tem você de rir
enquanto eu choro do seu lado?
que direito tenho eu de chorar
se meu choro vai secar sua felicidade?

que direito tenho eu de amar
se você ama quem já esta do seu lado?

bem vou fechar essa postagem pq pelamor de deus, quantas horas mais eu vou ficar escrevendo? essa postagemtah muito longa o.õ, fico imaginando se alguém vai ler isso até o final...
Sakura:claro que vai, pq no final eu apareço o/
Renoth:pq é intrometida...
Sakura:retira o que disse ò.ó
Renoth:retiro '-'
Sakura:que bom, se não ia chamar a deusa do Brigadeiro pra te atacar u_ú
Emo:alias, como ela tah, faz tempo que agente não ve ela T_T
Renoth:pq vc tah chorando emo?
Emo:caiu um cisco no meu olho a três dias atras T_T
Renoth: e tah chorando por isso?
Emo: na verdade, esse cisco me fez pensar em como o nível gradativo de poluição aumenta junto com a super-população, fazendo com que a terra seja consumida. Em alguns anos só haverá na terra ciscos, dor e solidão T_T
Renoth:buaaaaaaaaaaa que triste T_T
Sakura: emo vou matar seu cachorro ¬¬
Emo:mas ele não tem culpaaaaaa T_T
Sakura:so pq eu dormi a semana toda pra não ficar junto da minha mãe T_T
Renoth:mas isso não tem nada a ver Ó.Ò
Sakura: tem sim, como vc acha que os ciscos são produzidos? atravez de moléculas de sonhos produzidas quando vc dorme u_ú
Renoth:dexa de se loka Ò.Ó
Emo:vc fala errado quando esta irritado T_T
Sakura:pelamordosdeuses não pergunta pq ele tah chorando
Emopq lá em Pato Branco...T_T*leva tapa da Sakura*
Renoth:isso é Toma lá da cá, vc quer ser procesado? Ò.Ó
Emo:vcs saum do mal T_T

6 Comentários

Alone-parte 2

quinta-feira, 16 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





A vida passa, cicatrizando pequenos machucados que a gente recebe na pele...
Seria tão melhor se eu não soubesse que poderia sorrir, assim daria pra chorar sem o peso, a culpa...
Talvez a culpa seja minha... Talvez seja de vocês...
As semanas passavam devagar, eu ainda não conseguia entender o que havia acontecido no meu quarto, mas ele ainda não tinha voltado. Ele tinha falado algo sobre um nome, uma espada ou escudo, mas eu ainda não tinha entendido nada, era informação demais e pouca explicação.
Eu começava a achar que estava ficando louco. A solidão me corroía e me consumia aos poucos, ainda tinha o canivete guardado em baixo da minha cama para "casos de emergência", mas ainda era fraco demais para usar ele. Ainda.
A única prova que eu ainda tinha era um pequeno papel de bala, com uma marca que eu nunca tinha visto antes, as letras se embaralhavam enquanto eu olhava, como acontecia com aqueles tazos 3-d que eu tinha antigamente, parecia algo como "Dica", isso lá é marca?
Minha mãe continuava me provocando, continuavam me apelidando na escola e eu continuava apanhando a cada resposta, quando não pelo punho por outras palavras. A visita foi magica, mas eu ainda era o inútil de sempre, remando contra uma maré muito mais forte que eu.
Eu pensei que nunca mais aconteceria nada de sobre natural na minha vida de novo, que ela seria um poço vazio de solidão pela eternidade afora. Eu estava enganado, agradecia por isso.
Estava andando pra escola, por lugares normalmente lotados, mas que hoje estavam vazios. Olhei no relógio, 12:12, não estava adiantado, estava na hora, como sempre, por que estava tudo vazio?
-É por minha causa, espero que não se importe- Disse uma mulher sorrindo.
Novamente, era alguém estonteante, era loira, com cabelos enrolados, olhos verdes e um corpo simplesmente perfeito, não era nem alta nem baixa, quase do meu tamanho. Será que eu tinha um imã pra gente bonita?
Percebi que não tinha falado nada até então, mas ainda assim ela tinha respondido a uma das minhas perguntas, será que minha expressão era tão óbvia assim?
-Nãoo você disfarça suuuper bem!- Disse ela sorrindo, num tom irónico quase forçado.
-Como você sabe o que estou pensando?- disse fazendo uma cara perplexa- quem é você?
-Sempre fazendo as perguntas erradas...- disse ela com um falso ar de decepção que em seguida tomou o ar de um sorriso- Bem, posso ser sua espada, seu escudo ou até sua amante, tudo depende do momento!- Seus olhos brilhavam enquanto meu rosto ficava vermelho, tinha que aprender a me controlar.- Eu posso ler seu pensamentos por que você é meu mestre, e assim que se declarar meu dono poderá ler os meu também.
Ok, isso era estranho...
-o que você é?- parecia a pergunta certa, por que eu estava na duvida...
-agora sim, uma pergunta que eu posso responder sem rodeios.- ela parecia orgulhosa com o fato- sou quase um fantasma, um ser sem forma feito através dos seus sentimentos mais profundos, com o único propósito de te ajudar, te guiar e te amar...
-Como?- eu engasguei com minha própria saliva- então você é aquele cara? aquele cara é você?
-otimo, a gente aqui, junto e você vai lembrar dele? - sua fala começou a falhar e então percebi, ela era muito instável, mas prendou o choro e continuou a falar -não, mas nos temos o mesmo nome, somos antónimos, opostos extremos da mesma coisa. Somos como uma moeda, um é a cara o outro a coroa, sendo você o lado que nos cola e nos mantém juntos. Nós amamos você. Já sabe nosso nome mestre?
Ela falou que me amava? ela falou que os dois me amavam? nunca me disseram isso antes, será que eu estava alucinando?
-Desculpa, - disse ela sorrindo- mas não posso ficar até você descobrir nosso nome, até lá te ajudaremos como for possível. Descubra rápido por favor.
eu ia andar, dizer que já sabia o nome, inventar alguma coisa que a fizesse ficar comigo por mais alguns segundos. Ela desapareceu sem soltar fumaça, ou virar pó, simplesmente desapareceu, como se nunca estivesse ali. Em seu lugar ficou apenas uma pequena caixa, cheia de doces que eu nunca tinha visto antes e com todos com embalagens da mesma marca: "dica".
Guardei a caixa na mochila e mordi um pé-de-moleque enquanto ia pra escola. Quase tinha me esquecido, o amor tinha mesmo esse gosto...

3 Comentários

Alone- parte 1

terça-feira, 14 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





O mundo mudou, mas pequenas coisas continuam iguais, indiferentes a passagem constante do tempo, imutáveis...
mesmo depois de tanto tempo o gosto ainda é o mesmo, amargo, azedo...
Eu posso sentir o gosto dos sentimentos, de todas as habilidades que eu tenho gosto de definir essa como a mais inútil, a que mais combina comigo. Sim, eu sou inútil, quanto mais rápido você assume esse tipo de coisa mais rápido consegue seguir enfrente apesar desse fato.
O mais engraçado nesse dom é que não consigo sentir o gosto de qualquer alimento propriamente dito. Sei apenas a intenção dele, nada mais. é claro que isso faz com que eu coma muito pouco, o ódio tem um gosto indiscritivelmente ruim, e quase tudo feito para mim tem como principal ingrediente esse sentimento, ódio.
A cabei apelando para produtos industrializados, que tem um estranho gosto de indiferença, acredito que para você a experiência seria muito próxima de beber água. Você bebe por que precisa, não por que gosta.
Meu cabelo é incrivelmente longo para um garoto, chegando ao meio das costas em um liso negro escorrido. Meus olhos mudam de cor de acordo com meu humor, e estão na maior parte do tempo preto, eu achava no começo que olhos pretos indicam ódio, mas aprendi com o tempo que significavam indiferença. A falta de comida que dava um aspcto magro, quase doente. Não era bonito nem feio, mas algo que se perdeu entre a definição do que poderia ser um ou outro. E por ultimo mas não menos importante, eu sou ridiculo, e toda vez que eu esquecia isso por alguns instantes vinha alguém me lembrar, em questão de minutos, o quão ridiculo eu era.
Todas as pessoas que eu conheci na vida conseguiram ganhar de mim de alguma maneira, agregando a mim outro adjetivo descritovo negativo: perdedor.
Viver era uma droga, e ainda é, o fato de vir um dia bom só significa que o seguinte será pior, nada mais.
- Levanta seu inutil, tá na hora da escola!-gritava a minha mãe do andar de baixo, você pode achar que essa frase é ruim, mas ao menos ela já tinha desistido dos baldes de água-você que que eu suba ai???
Levantei rapidamente da cama, ela poderia ser incrivelmente desagradavel se subisse. Coloquei uma camiseta branca com o simbolo de minha escola, eu estudava em uma escola particular meio cara, mas é claro, isso já estava debitado em minha conta e seria cobrado em breve. Tudo seria.
-você não esta cansado ainda?- olhei para o lado, e vi sentado em minha cama um rapaz, que parecia ter uns 18 anos.
Os seus cabelos tinham um tom que se perdia entre o verde e o preto, seus olhos eram azuis e ele parecia muito forte. Perdi tanto tempo olhando pra suas feições incrivelmente lindas que demorei um pouco mais do que deveria pra perceber que tinha um invasor no segundo andar da minha casa, sentado em minha cama e me olhando como se estivesse tirando minhas roupas com os olhos.
-Quem é você?-parecia a pergunta mais obvia a se fazer. -o que esta fazendo no meu quarto?
-O que eu sou depende de você, posso ser sua espada, seu escudo, ou até seu amante, desde que na hora certa.- seus olhos se encheram com um leve brilho enquanto eu ficava mais e mais vermelho, ele estava falando serio?-estou aqui para te dar um aviso. Um aviso só pra você, descubra seu nome, e assim podera me ver de novo.
-mas qual é o seu nome?-perguntei enquanto pensava nas palavras dele.
-descubra isso por nós dois.-dizendo isso, desapareceu diante dos meus olhos como se estise sendo pulverizado.
Fiquei parado muito tempo, mais do que deveria. arumei a cama e terminei de me vestir rapidamente. No lugar onde ele havia desaparecido restava apenas uma bala. Sim, assim como você deve estar pensando eu achei que era louco, mas a bala tinha um gosto que eu nunca tinha sentido antes, pela primeira vez na vida provei algo delicioso.
me arisco a falar que a bala tinha gosto de amor...
é...
devo mesmo estar ficando louco...

4 Comentários

se anima se não eu te mato Ò,Ó

domingo, 12 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Sakura: Renoth sorri agora ò.ó
Renoth: mas eu toh triste T_T
Sakura*bate na cara*: se anima Ò.Ó
Renoth:aiiiiiiiiii T_T
Sakura: para de chorar, engole o choro Ò.Ó
Renoth:mais meu coração tah doendo
Sakura: para de chorar se não eu mato ele*aponta pro Emo*
Emo: mas eu não fiz nada T_T
Sakura: não importa, eu já tava com vontade de te matar mesmo u_ú
Emo: por que? T_T
Sakura:vontade não se explica, se alimenta u_ú
Renoth: o Emo vai morrer T_T
Emo: para de chorar que eu sobrevivo Ò.Ó
Renoth: eu não consigo T_T
*Sakura atira em Emo, mas no ultimo instante aparece Emma que pula na frente da bala e morre*
Renoth: ela era tão jovem buaaaaaaaaaaaaaaaa T_T
Emo: ela era minha namorada T_T
Sakura: ela tava usando o meu vestido novo T_T
Renoth: e por que vc tah chorando? o.õ
Sakura: eu não posso usar um vestido manchado T_T
Emma: mas eu estou viva o/
Sakura: como vc sobreviveu a minha bala de platino-criptonita?
Emma: simples, eu não sou nem um vampiro nem o super homem u_ú
Sakura: agora tudo faz sentido Ò.Ó
Renoth: ela não morreu buaaaaaaa isso é tão lindo T_T
Sakura: Cala a coba seu emo dos infernos Ò.Ó
Renoth: ela me mandou calar a boca TT_TT
Sakura: se vc não parar de chorar eu mato sua cachorra ! Ò.Ó
Renoth: mas ela me odeia o.õ
Sakura:então vou matar o garot que vc tah afim ! ò.ó
Renoth: vc tah com ciumes? o.õ
Sakura: Claro que não O////O
Renoth: pq seu rosto tah vermelho?
Sakura: por que eu tava assando um frango, fiquei no sol e fumei maconha U////Ú
Emo: vc fuma maconha???
Sakura: claro que não U/////Ú
Sakura: além do que eu vou casar com a Mimy, agente vai chifrar lucifer numa maquina do tempo e eu vou engravidar da Vick que sera amaldiçoada pelo proprio inferno u_ú
Renoth: sua imaginação me assusta o.õ
Emma: vamos pro anime Kawaii matar aliens o/
Emo: Bankai!
Renoth: esperem por miiiiiiiiiim

3 Comentários

mundos desmoronam.

sábado, 11 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Aconteceu, eu sabia que ia acontecer um dia, mas eu tinha que assistir? Eu tinha que participar?
Hoje o dia estava calmo, tranquilo, e parecia perfeito. Acordei pelas onze da manhã, e não tinha grandes perspectivas para o dia. Queria terminar logo de traduzir o manga, mas, como a preguiça e a curiosidade tendem a ser maiores que a disposição pra trabalhar, acabei achando acidentalmente um site com vários mangas traduzidos de Sasunaru e Narusasu, com um traço lindo e umas estorias impecáveis consegui passar grande parte do dia lendo.
Quando eu já estava com a mente cheia de romantismo bobo, crenças de que o amor é possível, acreditando friamente que o Sasuke e o Naruto se amavam, entre outras mentiras que eu não gosto de lembrar que existem, aconteceu.
Ele apareceu no msn, vou cortar o nome e o apelido por motivos lógicos, vou chamar somente de ele. Sim é um garoto a causa de tudo isso, espero que ninguém tenha ficado chocado com a noticia. Primeiro o mensenger dele ta com vírus, então assim que ele chegou a mensagem "tenho uma coisa urgente pra te mostrar na Webcan" e o idiota aqui clicou no link. Acho que essa palavra pode definir como eu me sinto nesse momento, um idiota. Mas não por causa de um vírus que provavelmente foi barrado pelo meu anti-vírus.
O dia inteiro foi um sonho, conversamos e entrei em um novo server de ragnarok só pra ficar na companhia dele por mais algumas horas. Só pra ter ele do meu lado por mais algumas horas. Ele me apresentou a galera do clã e me deu um presente lindo chamado "asa da princesa", que é rosa e parece pegar fogo. Antes de sair para almoçar já 17:50 e não tinha tomado café, mas a felicidade me enchia e inebriava, fazendo com que minha fome sumisse. Antes de sair ele repetiu a brincadeira de sempre de um jeito novo, dizendo:"assim que você voltar a gente se casa", a frase doeu como sempre. Mas cometi um grande erro tive esperança, existe um grande problema com sonhos bons, por melhores que sejam você acorda. Sempre.
Mal acordei de um sonho e cai de para quedas em um enorme pesadelo, um mundo mundo de assombro feito especialmente para mim, sob medida para o meu desespero. Voltei em cerca de 45 minutos, tentei falar com ele mas não ouve um resposta direta, ele estava ocupado, mas eu não sabia com o que.
Passei uma eternidade construindo um castelo de areia, e então o vento finalmente o levou.
Procurei por algum tempo e finalmente o achei, sentado, com uma pessoa, piamente apaixonado por ela, e eu, calmamente assisti (e ajudei bastante) enquanto ele conquistava ela, cheguei a dizer frases românticas inteiras pra ele. Que ele usou para dizer para ela o quanto era apaixonado.
é estranho, mas não derramei um lágrima na hora, me senti feliz por ele, ao mesmo tempo que me sentia desanimado por mim.
É claro que não foi só isso, por que noticia ruim nunca vem sozinha, e foi por causa da minha mãe que eu chorei.
Tivemos uma discussão sobre o por que de eu estar tão triste, e o motivo segundo ela, era a internet. Sempre fui sozinho e essa sempre foi a minha única válvula de escape. Sempre.
Ela falou que tinha vontade de se matar as vezes, e eu falei que já tinha tentado. não que eu fosse contar isso pra ela do nada, mas o levanta senta pra fazer as coisas pra ela não me deixavam terminar de escrever o que seria um desabafo bem menor.
E o que ela disse? adivinhem se puderem queridos leitores. Ela disse que eu brinquei de me matar, e que se eu quisesse de verdade me atirava na frente de um trem, não usava uma faquinha no pulso.
claro que ela se inocentou de toda a culpa, se livrou rapidamente do fato de eu ter andado três meses sem qualquer tipo de cobertura no pulso e, ainda assim, ela não ter visto absolutamente nada. Isso também era culpa da internet.
Eu não ter contado pra ela também era culpa da internet, ela não me perguntar do meu dia a mais de um ano também era culpa da internet, o fato de ela me obrigar a mudar de casa mais de quinze vezes durante a minha vida também não era a causa de eu não ter muitos amigos, a culpa era da internet, só da internet.
Falou também que um filho que se suicida não ama a mãe, mas ela me trata como um peso morto, já me chamou diversas vezes de inútil, vagabundo e no ano passado olhou no fundo dos meus olhos e disse "eu desisto de você". Isso também é culpa da internet?
Então ela resolveu todos os problemas da minha vida no segundo em que falou:"vou tirar a internet de você". Boa ideia, alias, otima ideia, tirar a única coisa que me da bom dia nessa casa, a ultima coisa que me pede por favor, meu único lugar de trabalho e meu contato com muitos de meus amigos virtuais.
Aqueles que me perguntam por que eu estou triste e me auxiliam, isso mãe vai lá me afasta deles. você é um gênio, sua inteligencia me assusta.
e depois de falar isso ainda disse "mas se vc não quiser dialogar, tudo bem" e continuou falando por meia hora. a culpa de eu não querer ouvir ela era também da internet?
o fato de ela dar mais atenção ao papagaio do que a mim (e eu tenho cronometrado) é também culpa da internet?
E depois de tudo ainda tenho que ouvir "mas a gente conversa tanto..." como uma desculpa de aceitação, como se tudo tivesse que ser dito por mim e a única obrigação dela fosse ouvir. Será que ela já ouviu falar em dialogo? por que isso existe na internet.
se eu ficar sem falar com vcs por algum tempo me perdoem de coração, acreditem isso vai doer mais em mim que em vocês.
beijos, já estou com saudade.

5 Comentários

Lugar quase longe

// Postado por Renoth





Eu já caminhei bastante, é verdade
mas algo, um som em meu ouvido
me: é muito tarde pra recomeçar
e já não dá mais pra encontrar
aquilo que procurava no começo

e eu, como fico?
você esta tão longe...
eu queria estar tão perto...
mas e você, como fica?

penso so seu beijo hoje,
pareço louco, você nunca me beijou
imagino até o inimaginavel
parece tão facil ficar com você...

e lá vou eu,
fazendo poemas sem rimas pra te dizer
"como vai você?" de um jeito que não pareça desesperado
por que estou desesperado pra te ver...

2 Comentários

Baxinha, gorducha e dentuça

quinta-feira, 9 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Bem primeiro e antes de mais nada vou postar o selinho feito pela Mika pela comemoração de 70 seguidores do anime kawaii (afinal antes de ser da equipe eu era seguidor):mas é engraçado, todos os selinhos do anime kawaii tem apenas menininhas, me sinto excluído ;-; ou será que pensam que sou um garoto vestido de garota?
aniway, temos um assunto mais importante pra falar, algo esta me incomodando profundamente.
Como todo mundo que lê esse blog já deve saber tive tantos apelidos que não consigo mais numerar todos eles, depois de um tempo adquiri uma forte resistência a eles, e não ligo mais pra maioria. Existe uma certa pessoa que surgiu no Anime Kawaii falando barbaridades na C-box, é claro que ela adorou me atacar junto ao blog, afinal eu sou um alvo facil no meio de tantos outros.
os três nomes que ela usou foram: Emo, Viado e chorão (sera que ela leu a ultima postagem?). Gostaria de deixar bem claro que não me importo com qualquer um desses três, afinal sou meio emo, meio viado e meio chorão. Agora tem uma coisa que eu não admito, em nenhuma circunstancia: ofender meus amigos.
Vou te contar três historinhas Monica, aproveite pois fiz especialmente pra vc^^
1ª: Era uma vez uma garota que irritou uma das personalidades de uma pessoa esquizofrenica como eu. O corpo dela foi encontrado queimado em uma viela de favela, e seu estado extra carbonizado soh poderia ser causado por um raio de cerca de 100 Amperes. Até hoje ninguém conseguiu desvendar como o assassino conseguiu atrair um raio para onde a menina estava, e portanto nunca se comprovou o assassinato.
2ª:era uma vez um garoto com serios disturbios mentais que o faziam acreditar que ele era mais de uma pessoa. um dia ele entrou em um predio e matou a facadas uma mulher que morava no primeiro andar. motivo? ela chamou suas amigas de idiotas burras.
3ª:era uma vez uma garota burra. Ela era tão burra, mas tão burra que decidiu se jogar de um predio. Ela morreu, mas nunca foi confirmado se ela se jogou ou não.

Pronto já falei do ruim, agora vamos falar do bom.
o onigiri fez churrasco e eu amei a descrição que fizeram do Renoth's world. gostei tanto que vou postar aqui pra não esquecer (minha memoria não é muito boa ^^')o/
Renoth's World: Porque ter apenas uma personalidade se você pode ter três completamente diferente? E quando elas brigam entre si? E quando uma delas bate a cabeça e adquire mais uma personalidade escabrosa.
Afinal, quantos Renoth existem?
Sakura:agente nunca bateu a cabeça u_ú
Renoth:mas o que vale é a intenção ^^
Emo:quero mudar de nome T_T
Renoth:por que?o.õ
Emo:simples, meu nome é um termo pejorativo usado para ofender uma tribo T_T
Renoth:ok, e que nome vc quer?
Emo:hum... Adenilson
Sakura: eu também quero mudar de nome o/, a partir de agora sou a Gardeneia! u_ú
Renoth:Emo, não faz isso. Sakura, que nome estranho '-'
Sakura:não me chamo mais Sakura! meu nome é Gardeneanda!
Renoth:não era Gardeneia?
Sakura: Não, isso é nome de menino!
Renoth:realmente, de cachorros meninos!
Sakura:você é muito preconceituoso! sabia que os cachorros também tem sentimentos? quem daria um nome como esse pra um cachorro?
Renoth:Ah é?! e vc tem mais de 1000 anos, é mais velha que a Tsunade!
Tsunade:Você me chamou de velha?Ò.Ó
Renoth:não... foi ele!*aponta pro Emo*
Tsunade:Você tah morto Ò.Ó
Emo:tudo acaba na minha cabeça nesse blog T_T
Sakura:coitado! Renoth, vc é mal!
Renoth:e vc é uma vampira de mais de 400 anos!
Sakura:contra fatos não a argumentos u_ú.Agora eu vou te morder *pula no Renoth*
Renoth:por que ?T_T
Sakura: deu vontade *¬*. Groselhaaa o/

3 Comentários

a insignificante história do garoto que falava chiclete(tentativa fail de autobiografia)

quarta-feira, 1 de setembro de 2010 // Postado por Renoth





Não, não era uma pessoa importante, nem sequer um pessoa relevante, era alguém que conseguiria facilmente passar por uma balada onde só tinha gente conhecida sem ser reconhecido por ninguém.
Era odiável demais pra ser amado e amável demais para ser odiado, dono de uma beleza feia e de uma normalidade loucamente estranha.
Nasceu em São Paulo, se mudou para o Rio de Janeiro onde passou a infância. Não ficou lá tempo o suficiente para lembrar da praia, mas o suficiente para ter sotaque. A mãe nasceu no Rio e depois foi morar em São Paulo, enquanto o pai nasceu em São Paulo mas foi viver no Rio. Deste modo, antes mesmo de nascer era um garoto de opostos.
Os pais se divorciaram cedo, na clássica historia da mãe traída que se revolta e vai embora. Porém o que se seguiu depois disso perdeu seu ar de clássico, tendo um irregular ar de renovação antiquada.
Sua infância foi marcada por mimos, super proteção e uma estranha onda de choro a cada pequena perda, o que lhe deu, é claro, um ar engraçado atravez de seu primeiro apelido. Muitos apelidos foram dados desde então, mas esse merece um pequeno destaque, afinal foi o primeiro: Chorão. é claro que a mera menção deste bobo apelido aumentava o numero de lágrimas exageradamente.Na verdade o dizer era praticamente o mesmo que abrir uma pequena(porém potente) torneira, o que tornava seu uso estranhamente divertido. O seu uso constante transformou o apelido em segundo nome, deste modo o garoto passou de Renan para Renan, o chorão.
Mas não acabou assim, como eu já havia dito este foi o primeiro e menos agrecivo apelido que o garoto adquiriu durante a vida. Contar a historia desse garoto seguindo os apelidos facilita a leitura e a escrita do mesmo, afinal, eles tem sentido constante e inalterável atravez do que poderia ser considerado uma vida, mas jamais poderia ser apreciada como uma.
O segundo apelido chegou na primeira serie. O chorão já havia se acostumado com o novo sobrenome e não mais chorava com a citação do mesmo, parecendo até certo ponto gostar do que seria esse apelido. mas o garoto teria que mudar de sobrenome novamente, sobrenome esse que o faria ressuscitar o significado do antigo. Gordo não ficava nem um pouco feliz quando esse apelido era citado, chorando pequenos rios ou mares de agua não potável cada vez que o mesmo era dito em sua sala. Ou seja, era a única criança que conseguia chorar com a mesma intensidade a cada quinze minutos e ainda assim conseguir lançar no dito recreio com um sorriso no rosto.
[Esta historia sofrera edites para poder ser concluída, meu tempo na lan House esta acabando e eu estou afim de jogar um pouco de ragnarok ^^']

3 Comentários

Em algum lugar...
Contos e pedaços aleatórios da minha vida. Quase um diário, quase um poema, quase um livro. Se descobrir o que é, favor contactar contando.
Sakura’s warning: não mexam na groselha na geladeira. Grata.

Quem?

Eu? Bem, não há muito a dizer. Cursando o segundo semestre da faculdade de jogos digitais na fatec, e o sexto ou sétimo modulo do curso de computação gráfica da Saga. Um futuro profissional da área de jogos, ou de qualquer outra área que venha a me aceitar. Um pequeno monstro com um grande fraco pelo Konta.

como me achar?

Já tentou me procurar?
Nyah!
Twitter
DA
Tumblr
msn e email pra contato: renoth@hotmail.com

Button




Seguidores


Arquivos

Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Agosto 2012
Outubro 2012
Novembro 2012
Dezembro 2012
Janeiro 2013
Abril 2013
Junho 2014


C-box


Créditos