[Poema solto~] A Fada que nem sequer existia

segunda-feira, 20 de junho de 2011 // Postado por Renoth





De um lado pro outro...
De um lado pro outro...
Era uma vez uma fada. Ela era maior que todas as outras que já haviam existido, mais forte que todas as outras que já haviam existido, mais bela que todas as outras que já haviam existido e mais inteligente que todas as outras que já haviam existido.
Ela era rosa, uma fada do amor.
Mas essa fada não existia, e isso era tudo que ela mais queria: existir.
De um lado pro outro, pula...
De um lado pro outro, pula...
Era dezembro. As nuvens cobriam o céu, e a fada estava sozinha.
Ela procurava e procurava. “em algum lugar terá alguém” ela pensava.
Mas por mais que procurasse, não achava ninguém.
Ela não podia ter companhia, amigos ou família. Afinal a fada nem existia.
De um lado pro outro, pula e corre...
De um lado pro outro, pula e corre...
Ela era só um fruto da imaginação de alguém. Alguém que ela nem conhecia havia dado essa quase vida pra ela.
Mas mesmo tendo consciência, ela não existia.
E ela pensava e pensava e pensava.
Afinal, era uma fada muito inteligente.
“o que fazer?” “o que fazer?” “o que fazer?”
De um lado pro outro. Pula, corre e gira...
De um lado pro outro. Pula, corre e gira...
Ela entrou em desespero, arrancou suas próprias asas.
Entrou em amargura e então perdeu toda a sua magia.
Agora, além de ser uma fada que não existia
Era uma fada sem asas que nem sequer existia.
De um lado pro outro. Pula, corre, gira e cai...
De um lado pro outro. Pula, corre, gira e cai...
Não podia morrer, mas mesmo assim se cortava.
Não podia amar, mas mesmo assim se enganava.
Não sentia dor, mas cada vez mais gritava.
De um lado pro outro. Pula, corre, gira, cai e grita...
De um lado pro outro. Pula, corre, gira, cai e grita...
E desapareceu pouco a pouco,
Dentro de sua própria consciência.
Era a mais bela, bonita e inteligente,
Mas ainda assim, não existia.
De um lado pro outro. Pula, corre, gira, cai, grita e sangra...
De um lado pro outro. Pula, corre, gira, cai, grita e sangra...
E gritava, e pulava, e sangrava.
Ela já nem mais respeitava a ordem da dança.
Sua roupa rosa ficou preta.
 sua felicidade virou tristeza.
Seu amor, amargura.
Não, ela não podia morrer.
E corta, corta, corta e corta...
E corta, corta, corta e corta...
Ela feriu seu lindo rosto com facas,
Sua beleza desapareceu pouco a pouco...
E chora, chora, chora e chora...
E chora, chora, chora e chora...
Sua inteligência se perdeu aos poucos,
Dentro de uma grandiosa onda de loucura.
“não, eu não sou louca”
“não, eu não sou louca”
Dizia enquanto chorava.
E grita, grita, grita e grita...
E grita, grita, grita e grita...
Encolheu dentro de si mesma,
Virando uma miniatura dela mesma.
Uma pequena estatueta do que um dia fora.
E morre, morre, morre e morre...
E morre, morre, morre e morre...
Não, ela não podia morrer.
Virou um monstro que assombrava a ela mesma.
Mas o que mais se podia esperar
De uma fada que nem sequer existia?

3 Comentários

As desventuras da ignorância.

// Postado por Renoth





Já disse que odeio o exercito? bem, eu o odeio.
Primeiro, ele é ridículo. Segundo, é machista. Terceiro, é ignorante. Eu já falei que o acho ridículo?
Pois é, mas até hoje nunca tinha tido um motivo real para odiá-lo, apenas o odiava cegamente. Como eu disse, até hoje.
Tinha que comparecer a junta militar às onze horas, hoje. 10h50min eu estava lá, na porta, entregando todos os meus documentos. Descobri que algumas pessoas já estavam lá, mas muitas ainda estavam chegando. Depois de mim chegaram umas 40 pessoas.
Um velhinho do exercito com cara de mal comido chamava nomes que deveriam descobrir se serviriam ou iriam para Quitauna fazer seleção (ou seja, ninguém com certeza serviria, mesmo se selecionado existe uma segunda seleção). Fiquei uma hora ou mais, de pé, no sol (sol do meio dia, que é super agradável, claro), ainda resfriado. Divertido, super divertido.
Minha mãe passou meses falando que eu seria selecionado. Eu não acreditei. Maldita bruxa.
Mas o que me deu raiva é que tipo, eu cheguei junto com um cara que foi TODO de rosa (e não rosa clarinho, ROSA PINK), e eu lá, calça preta e uma camiseta verde que tem a bandeira brasileira pintada em aquarela. Ele foi dispensado assim que olharam pra ele.
Todo mundo disse pra eu falar que era gay (há, como se eu não fosse fazer isso, inocência amores...), mas ninguém me perguntou nada. Me pediram pra assinar um papel e me entregaram um documento. FIM.
Agora essa sexta feira tenho que me apresentar em quitauna, com uma porrada de documentos que eu nem tenho certeza se tenho...
Não sei se vocês entenderam o motivo da minha raiva, então vou explicar.
Aqui em casa todo mundo disse pra eu ir o menos gay possível, ok, obedeci.
PORRA, SE EU SOUBESSE TINHA IDO VESTIDO DE BARBIE!
Deu nervoso, vontade de cantar aquela musiquinha do Len que estou decorando só pra pensar em qualquer outra coisa que fosse. Pensei em me atirar na frente do primeiro trem, do primeiro ônibus, do primeiro carro. Qualquer coisa que me desligasse por alguns segundos do que eu estava passando. Eu realmente não quero servir.
No caminho, talvez minhas personalidades tenham se desesperado, porque foi a primeira vez que de fato senti a Sakura comigo (bem vinda a minha vida esquizofrenia, claro que eu já não era estranho o suficiente antes). Um pensamento veio a minha mente, um pedido, controle. Entrei em modo stand-by ainda pensava normalmente, andava normalmente, mas meu pensamentos ficaram assustadoramente calmos, egocêntricos e narcisistas. Além disso, eu tinha uma atenção muito maior em tudo e comprei todo o chocolate que o dinheiro que eu tinha no bolso conseguia comprar. Foi bastante.
Entrei no ônibus, e comi calmamente, li um mangá do Negima! que estava na mochila e ri. Eu não esqueci o exercito, eu simplesmente não ligava.
Achei a sensação engraçada, e ainda estou com um pouco dela aqui, uma estranha vontade de dizer “foda-se u-u” pra todo mundo que me critica ou já criticou... acho que nunca me senti tão seme na vida.
Tudo que eu mais queria agora era chorar, mas essa sensação simplesmente não deixa, me deixa estranhamente estável.
Também queria poder falar com alguém conhecido. Qualquer pessoa. Mas é claro, minha mãe está dormindo com a porra do 3G trancado no quarto dela. Foda-se, vou cantar. Aliás, só pra deixar claro, eu odeio a musica que vou cantar. Simplesmente odeio o fato de ter que cantá-la, odeio, odeio, odeio. Odeio a ideia quase tanto quanto odeio o exercito. Eu já falei o quanto odeio o exercito?
Mas meu dono pediu... é estranho eu fazer algo que odeio só porque alguém me pediu?
De qualquer forma vou ficar com raiva dele por um tempo por isso. Aliás, vou ficar com raiva de você que está lendo se me ver cantando aquilo, que vou ter que postar aqui quando ficar pronto. Já falei que estou raiva? já falei que eu não ligo? estou com raiva, mas ao mesmo tempo não ligo. Tipo: gostaria que um avião caísse na sua casa agora e toda sua família morresse, mas se não acontecer também não tem problema nenhum._.
Comecei a cantar Lady GaGa. O que prova que eu realmente quero que o mundo inteiro se foda. Quanto tempo ficará comigo Sakura? *u*
Bang bang!
A beautiful and dirty rich...
beautiful, dirty, dirty rich, rich, bang bang!
Dad i’m so sorry, i’m so so sorry, yeah!
We Just like a party, like a pa-pa-party, yeah!
Bang bang!
[Beautiful, Dirty, Rich. Lady GaGa]
Eu já falei que posso ficar careca essa sexta-feira? vocês ainda me amariam?
Pronto a Sakura foi embora, eu realmente estou com vontade de chorar e me importo de verdade com a resposta a essa pergunta. Meu cabelo é uma das coisas que mais prezo em mim mesmo, e são realmente poucas as que me agradam em mim. Que direito tem de tirar isso de mim¿ o que eu fiz? eu realmente não me lembro de ter feito nada pra machucar ninguém, então por que¿ que crime estou pagando? e o mais importante: POR QUE A PORRA DO CHOCOLATE ACABOU???? T-T
Alou? alou? cambio desligo.
Não, não estou drogado nem bebi nada. Mas agora que você perguntou, parece uma ótima ideia, não?aposto que ainda tem umas duas caixas do anti depressivo que tomei da ultima vez no armário aqui de casa. Posso misturar com vodka, e talvez por açúcar e coca-cola...
Detesto o gosto da vodka, mas assim deve ficar docinha...
Enfim, nem sei mais do que estou falando... vou decorar a porra da musica.
I wanna kiss you
But if I do then I might miss you, babe(...)Let's play a love game
Play a love game
Do you want love?
Or you want fame?
Are you in the game?
Through the love game
Let's play a love game
Play a love game
Do you want love?
Or you want fame?
Are you in the game?
Through the love game
[Love Game. Lady GaGa]
E eu ainda estou aqui... sóbrio. Droga.
Maldita Lady GaGa! não me faça cantar e esquecer meus problemas! e.e
Agora serio... vou ensaiar... assim que essa musica acabar, claro.não conseguiria cantar a musica do Len se não ouvisse telephone primeiro...
Eu espero que você assista isso 10000000 de vezes Tsuki-sama! e.e’

0 Comentários

Não, não faz sentido. mas segundo a Emily faz *aponta*

sexta-feira, 17 de junho de 2011 // Postado por Renoth





tente entender! eu te desafio ._.

Já faz tempo que não tenho esse tipo de reação forte onde tenho que morder meus lábios com força pra não chorar, mas não tenho nada contra ela, ela me prova constantemente que estou vivo, que ainda tenho sentimentos por mais que odeie os ter e o mais importante: me prova que ainda sou só um enorme e grande idiota.
Tento dizer que amo e digo que odeio, que gosto e digo que detesto. Será que eu deveria criar um dicionário especial somente para as pessoas que amo entenderem o que eu quis dizer?
Amo isso. Odeio isso.
A verdade é que fiquei tanto tempo sem saber se eu gostava ou não das coisas que aprendi a catalogá-las mecanicamente em modo aleatório. Pensei gostei, pensei detestei, pensei amei, pensei odiei, apenas como uma maquina que escolhe o destino final de um produto em uma multinacional, sem pensar em como essa seleção automática vai atingir as outras pessoas que moram nos países que irão receber esses produtos.
Quero sair dessa seleção automática estranha, mas já vivo como uma maquina há algum tempo e sei quais são meus motivos para viver assim. Dói ser um ser humano, e como maquina não preciso sentir essa dor. Posso guardá-la em um enorme armário e nunca mais tocá-la, senti-la, ou mesmo pensar nela. Muito certo que como maquina também não posso esquecer, mas não preciso avaliar o valor que as lembranças ruins tem.
 Sim, tenho varias lembranças ruins, mas não fico encarando elas. Gosto de pensar que cada uma delas está dentro de um pequeno globo de neve, em alguma prateleira invisível e assustadoramente grande em meu quarto.  Assim: guardadas, seguras.
Adoro essa prateleira e tudo que ela representa. Detesto essa prateleira e tudo que a envolve.
Às vezes sinto que se eu interagir com alguém, por mais que eu goste dessa pessoa, isso resultara na quebra dessa prateleira, fazendo com que todos os pequenos globos de neve se quebrem, destruindo todas as barreiras que demorei tanto tempo pra criar. Essa parte não me assusta, o que realmente me dá medo é ver as pessoas que atualmente estão do meu lado indo embora, incapazes de me ajudar a receber as lembranças de um modo menos doloroso.
Eu sei, é infantil, mas eu sei que não posso suportar sozinho.
E agora aqui estou eu, escrevendo cada uma das lagrimas que não escorreram, colocando no papel todos os estranhos sentimentos que não sei expressar. Não se apresse em sair agora, oh lagrima destemida, você será a próxima a passar pro papel.
E mesmo com todo esse sentimento não consigo fazer um pingo de sentido. Ou será que eu faria mais sentido se não tivesse nenhum sentimento?
Às vezes sinto-me como a pessoa rouca que gosta de cantar alto, mas que não tem voz o suficiente pra isso. Um dia ela acorda, descobre que sua voz ganhou volume e pode ser comparada a de qualquer outra pessoa. Nesse momento canta o mais alto que pode, chorando de felicidade em cada tom. Assim que chega ao meio, estranha o timbre de sua voz e descobre que não sabe cantar alto, que só tinha talento quando não tinha volume na voz. Assim, com seu desejo realizado, descobre que ao ganhar o que mais queria perdeu o que mais gostava.


Eu tenho momentos muito parecidos, crises que eu simplesmente prefiro prender em um globo de neve translucido. Você me ajudaria a quebrá-los? chutaria com força a prateleira? me salvaria da enchente de sentimentos caídos?
Vamos, diga algo que me faça mudar de ideia, que me salve, ou simplesmente fique quieto.
Mas esteja, fique, seja, modifique o meu ser. Dê-me a mão quando for andar do meu lado.
 Isso faz algum sentido pra você?
Contos de fadas nunca fizeram sentido pra mim, mas por algum motivo sempre imaginei que eu faria parte de um deles. Sempre acreditei que um dia viria alguém especial, que eu ia amar mais do que já amei qualquer outra pessoa. Sempre sonhei que essa pessoa me salvaria, e me levaria pra bem longe. Jamais brigaríamos, jamais discutiríamos e a mera menção da palavra “separar” seria dolorosa. Sim, odiaríamos essa palavra com todas as nossas forças e faríamos tudo pra ficarmos cada vez mais juntos e ligados. Um dia essa pessoa especial acordaria e me veria do seu lado na cama e essa visão o faria perceber algo diferente em mim, daria pra ver todos os meus defeitos refletidos em minhas costas cobertas. Essa pessoa iria embora, assim que terminasse de me olhar, indiferente ao fato de eu ainda estar dormindo e não poder impedir. Eu acordaria, veria que não existia mais ninguém no quarto, mais ninguém na sala, mais ninguém na cozinha e voltaria pra minha cama. 
Choraria e esperaria por sua volta por dias, ainda incapaz de levantar da cama. Não comeria, não dormiria, não mandaria mais meu coração bater, meu pulmão respirar, e talvez tentasse me matar sem nenhum sucesso. Depois levantaria, ficaria com raiva de tudo que fosse feliz, que me lembrasse essa pessoa tão especial que eu tinha amado tanto. Sairia pela porta, com uma pequena mala, deixando em cima da mesa um pequeno cartão onde estaria escrito: “Desculpe por não ser perfeito como você merecia. Ainda te amo.”.
Jamais iria sorrir de novo, e me tornaria cada vez mais seco e vazio. Talvez tentasse me matar mais algumas vezes, ainda sem sucesso. No fim não teria ninguém que segurasse minha mão, dizendo que tudo iria ficar bem, não haveria ninguém que me esperasse no céu, ou mesmo no inferno. A grande diferença entre o meu conto de fadas e os que se lê normalmente é estranho “e viveram felizes para sempre”, que não sobrevive por mais de duas semanas. 
Talvez minha estória fosse transformada em um filme. Nele os créditos subiriam um dia antes da pessoa especial ir embora, talvez mostrando um enorme sorriso em meu rosto, que pareceria aguentar qualquer tormento.
Isso ainda não faz sentido pra você, faz?
Todas as vezes que tento ser sincero isso é tudo que consigo dizer. Palavras sem sentido para todas as pessoas, mas que entendo perfeitamente, o que me leva a conclusão de que não sou uma pessoa. Talvez uma maquina, um jogo divertido... Daqueles que enjoam depois de duas horas de jogo continuo. já enjoou de mim? coloque-me de volta na prateleira que você pegou e leve outro em meu lugar, não seria a primeira vez...

se você não entendeu... bem... eu não disse que fazia sentido, quem disse foi a Emily, a culpa é dela!!! *aponta*

0 Comentários

suki... dai suki...

terça-feira, 14 de junho de 2011 // Postado por Renoth





Miau! prazer, meu nome é Chocolate!
Olá, todos vocês me conhecem como Renoth, mas hoje eu vim falar com um nome diferente. Não, não é outra personalidade tomando posse do controle do meu corpo, é apenas um nome que ganhei de alguém muito especial. Hoje, eu sou o Chocolate.
Mas não escrevo esse post para explicar a origem desse nome. Escrevo com esse nome pra pedir desculpas ao meu dono.
Eu sou só um bichinho de estimação bobo, que não sabe direito o que quer, mas que fica muito feliz quando vê seu dono chegando. Dá ataques ukes, da maneira mais contida que consegue toda vez que seu dono se preocupa, ri, elogia, ou é simplesmente carinhoso.
Sim, sou um neko que depois de muito tempo sem um dono aprendeu a falar besteira, e ainda tem cara de vira lata (contando com a possibilidade de nekos também virarem latas.).
Eu disse que poderia ter um dono melhor, mas isso é mentira. Não existe no mundo um dono melhor, não pra mim, e por isso esse é o meu dono, meu, meu e meu.
Não quero que outro alguém seja meu dono, estou muito feliz sendo só seu bichinho, você nunca deixou de ser carinhoso comigo, mesmo quando te deixei bravo.
Então, quero fazer esse post para o meu dono.
O meu dono é um cara muito especial, apesar de me assustar as vezes.
Ele não é um pedofilo,  apesar de eu ter dito isso mais de uma vez antes, ele até pode gostar de shotacon, mas não importa, ele é meu dono. Além disso, dentre as coisas que ele me mostrou, não havia nada que eu também não acabasse por gostar. Fora é claro, uma ou duas coisas que me assustaram.
Não é culpa dele, me assusto fácil.
Na verdade, no começo eu tinha um pouco de medo dele, mas ele é seme. Semes me assustam, embora eu não saiba bem o porquê disso... Um outro exemplo de seme que me assustava muito é a Sii, do Onigiri. Eu tinha tanto medo dela que sempre que ela aparecia no chat ou em qualquer coisa assim eu corria pro outro lado. Hoje, ela está no fundo do meu coração (embora eu ainda tenha um pouco de medo dela).
Mas é engraçado, eu demorei um pouco pra ter medo do meu dono. Acho que o jeito como ele se apresentou foi muito “oi, eu sou simpático, não tenha medo de mim. =D”. Não, não foi isso que ele me falou, mas sei lá... Foi assim que eu me senti.
Por favor, se eu começar a falar besteira alguém me manda calar a boca, por favor . (alguém no fundo grita: cala a bocaaaaaaaaaa!!)
Meu dono é muito especial pra mim, embora eu ainda não tenha um nome pra chamá-lo (sim, eu sei nome dele, mas ele me chama de chocolate, eu tenho que conseguir um bom apelido pra ele U_U). Simplesmente gosto de chamá-lo de meu dono, mas isso não é especial o suficiente pra ele, então tenho que pensar em algo melhor. Tento pensar em um nome pra ele, algo que lhe chame do que ele é: meu dono. Pensei em chamá-lo de dono em japonês, adicionar um “sama” pra transformar isso em algo mais... Respeitoso, eu acho... Mas eu sou só um gatinho burro. Não sei falar japonês, nem sei transformar nada do que digo em algo que seja de outro idioma. Também não consigo pensar em um personagem que seja parecido com ele, pensei em Shin, mas não sei se é bom o suficiente.
Meu dono virá me ver, o que acho muito bonitinho contando que moramos a mais de um estado de distancia. Na verdade, por alguns segundos quando ele disse que viria eu não acreditei. Ai lembrei que não acreditei que ele me mandaria um presente de aniversário cerca de 3 meses atrasado (por eu ter pedido). Lembro que quando eu disse “chegou” ele me respondeu “feliz aniversário!”. Isso foi uma das coisas mais bonitinhas que já fizeram pra mim.
Quando conversamos sinto que estou falando com alguém que realmente me entende, o que é assustadoramente raro (só acontece com mais duas ou três pessoas), e sinto que até certo ponto também consigo o entender.
Ai eu, o idiota, falo que poderia ter um dono melhor. Que bem que poderia não ser alguém que conheci na internet. Deuses, onde eu estava com a cabeça? Ele é um dono tão fofo, mas tão fofo, mas tão fofo, mas tãoooooooo fofooooo que... eu não sei que palavra usar pra terminar essa frase. Podemos para no “ele é um dono fofo”? =D
Vejamos o que mais... ele é bilíngüe, fluente em espanhol.  Também me localiza no tempo quando eu acho que é Sábado, mas é Domingo. Aliás, me localiza sempre que estou perdido em qualquer assunto. Normalmente quando me corrigem me sinto um tapado completo, mas isso não acontece quando é ele que está me corrigindo, o que eu acho engraçado.
Ele é Nerd, muito Nerd. Mas não digo isso pra ofender, acho ele muito inteligente e esforçado (apesar de um pouco preguiçoso). Faz faculdade, não é a primeira vez que começa uma, mas dessa vez pretende ir até o fim. Eu estou longe, mas estou torcendo por ele.
O que mais eu posso dizer? eu não estou fazendo muito sentido, estou?
Aliás, além de não estar fazendo sentido, estou me repetindo. Acho que já disse que ele é muito especial pra mim umas quinze vezes...
Dane-se, ele é muito especial pra mim.
É o meu dono.
E não haveria um melhor. Não pra mim.

1 Comentários

Post-aviso.

quinta-feira, 2 de junho de 2011 // Postado por Renoth





desculpa por postar duas vezes no mesmo dia depois de seculos sem postar... eu sei que isso não está certo, mas também não sei se está errado... alguém ai quer dar uma luz nesse questão filosofica quase tão profunda quanto um poço artesiano?
guerra é guerra, faz tempo que eu não entro em uma, e não pretendo perder!
não entendeu? sem problemas, eu explico (mas isso não quer dizer que você vá conseguir entender de qualquer maneira .-.) ...
eu e minha mãe brigamos feio, nem estamos nós falando direito.
sempre que brigamos (não importa o tamanho insignificante do que começou isso) eu sempre peço desculpas e as coisas voltam ao normal, mas dessa vez não vou dar o braço a torcer tão facil.
ela me ofendeu, falou de mim pelas minhas costas pra minha tia, disse que eu a destratava e que se fosse pra ser assim era melhor que eu não falasse com ela. ok, estou em semi voto de silencio, e falo apenas o estritamente necessario...
por algum motivo, isso cortou meu direito a internet, sair, pensar, respirar, amarrar o cabelo, entre outras coisas que tem TUDO a ver com a briga...
o pior é que tudo começou porque eu decidi não aceitar a opinião dela em um assunto banal, o que irritou ela profundamente. mas bem, foda-se, eu vou sobreviver (ou não...)
a Sakura gostou de provar sangue com chocolate, mas eu particurlarmente acho o gosto de sangue meio neutro... acho que se colocasse um pouco de Ajinomoto até que ficava gostoso...
enfim... o que mais eu quero contar aqui?
agora eu tenho um dono (pra aqueles que não conseguem adivinhar quem é o individuo, digamos que ele é pedofilo, e é do mal...), que me deu o novo nick "Chocolate". o que me lembra a esstória de um shotacon onde um gato virava um garoto e... bem... coisas desagradaveis aconteciam com ele...
mas enfim... segiremos em frente e morremos todos em 2012, então foda-se...
esse post foi mais pra avisar que posso ficar um tempo sem entrar, tanto no MSN, no Twitter, Tumblr, Blog e afins, mas estou relativamente bem, respirando, resfriado e com dor no corpo...
quero um Trakinas, quem me dá um Trakinas?? T_T
enfim, cambio e desligo... espero que não pra sempre...

1 Comentários

Guarda Chuva (titulo by Laura)

// Postado por Renoth






Estive pensando. Aliás, tudo que posso fazer nesses tempos é pensar, o que torna estranho o fato de eu só fazer isso de vez em quando. Enfim, estive pensando nos meus dramas, eu tenho muitos.
Imagino que praqueles que não estão acostumados a me ver sempre cada um deles deve ser absurdamente infantil e ridículo. Bem, para esses eu tenho uma resposta que considero valida: eu sou absurdamente infantil e ridículo. É mais forte que eu.
Mas essa coisa aqui está ficando super desatualizada, então vamos atualizar isso.
Primeiro: o pedófilo do mal que eu citei na ultima postagem me mandou o presente, e ele é absurdamente lindo( o que talvez prove que ele não seja tão mal assim...). Um lobo, branco e cinza da WWF Brasil que passou a dormir comigo quase sempre. É bem macio, dá vontade de ficar o dia inteiro fazendo carinho, e carrego ele pra todos os lugares que posso (ele vai comigo na mochila). Dei um nome pra ele: Lawrence Rodrigo Rupret. Nome longo, mas que é proporcional ao carinho que tenho tanto a pelúcia quanto a quem me deu. É estranho, mas não acreditava em nada que ninguém me dizia completamente e isso me provou que eu estava errado.
Pela primeira vez estou feliz em estar errado.
15:15. Quem está pensando em mim?
Engraçado, enquanto escrevia isso a musica “Pra você eu digo sim” da minha idolatrada Rita Lee começou a tocar. Ai reparei que ela diz que tudo que penso._.
“Se eu me apaixonar, vê se não vai debochar da minha confusão
Uma vez me apaixonei, e não foi o que pensei...
Estou só desde então...”
Bem, ela inteira é bem a minha cara, isso somado ao horário me fez pensar demais. Mas bem, devo mudar o tópico, afinal, ainda tenho mais coisas pra falar.
Segundo: casamentos são um saco, mesmo. Acho que se um dia eu casar vai ser assim:
Padre: você aceita¿
Pessoa: aceito!
Padre: e você¿
Pessoa2: também!
Padre: estão casados! Pó beijar!
Acho que simplifiquei um pouco, mas no básico seria isso...  e a Sakura seria o padre! U_U
Fui em dois casamentos desde a ultima postagem e... Bem, o primeiro até foi bonitinho (apesar de a noiva ser feia ._.), mas o segundo foi... Infernal. A noiva atrasou TRÊS MALDITAS HORAS, não tinha espaço para todos os convidados, e todos os evangélicos presentes me encaravam como um ser extraterrestre enviado para devorar o cérebro de todos os presente e... Fazer alguma outra coisa que somente um ET faria...
Terceiro: laminas lisas são muito mais uteis que facas serrilhadas. Sai mais sangue e dói muito menos, o que torna tudo um exercício bem mais pratico.
O que mais¿
Eu lembro que queria falar mais alguma coisa...
Ah é! Junjou Romântica!
Assisti ao anime inteiro (as duas temporadas) e de fato, Gravitation fica no chinelo diante de Junjou. Os três casais são muito bonitinhos (apesar de eu achar que a estória do terceiro acaba se tornando insignificante diante do contexto dos outros dois), e todos os personagens são de algum modo apaixonantes. Menos o Sempai do Misaki, ele é do mal e vai pro inferno, fim.
Personagem favorito: Nowaki. Na minha opinião ele é o seme mais perfeito já inventado (e olha que já vi muitos semes), carinhoso, gentil, profundamente apegado a seu uke, e acima de tudo: profundamente romântico. Em minha humilde opinião merece o premio de seme do século. Talvez eu faça uma plaquinha pra ele...
O Hiro-san me irrita, porque se parece muito comigo em vários aspectos ridículos. Ele também me irrita porque tem um Nowaki e eu não...
Acho que em todas os animes que vi o Uke sempre me irrita por se parecer comigo em questões ridículas. O único que apesar de se parecer comigo não me irritava é o Misaki, que tinha atitudes (na minha opinião, claro) construtivas em relação ao próprio relacionamento com o Usami.
Ia falar mais alguma coisa, mas abri um episodio aleatório de Junjou e esqueci ._.
ah, lembrei! O Nowaki me fez desistir de virar suke ( eu me considero meio suke), posso ser só uke, desde que meu seme seja um Nowaki (que na minha língua quer dizer: esforçado, absurdamente romântico, inteligente, hábil, carinhoso e alguns outros adjetivos positivos que só pessoas que nunca se interessariam por mim poderiam ter...).
Deixa eu ver o que mais... ah é, pesadelos!
que tal uma noite de sono tranquila, pra variar?
Discuti com a Emily sobre esse assunto. E tive mais um. CULPA DELA!!! Ò-Ó
Bem, esse foi especialmente bizarro. Envolve ficar pelado em publico, ser perseguido por pessoas loucas, apanhar, ser atropelado, usarem um carro para me bater contra a parede (ou usar uma parede pra um carro me bater, tanto faz), ficar perdido na floresta, pessoas controlando minha mente, e o pior de tudo: eu indo ver um jogo de futebol. Além de ficar careca, sem amigos e novamente pelado.
Divertido, super divertido.
O pior de tudo: tinha um filho da puta com um controle que controlava meu sonho, e sempre que ele apertava um botão varias coisas no cenário mudavam (acontecia normalmente quando eu estava pra conseguir me livrar de todos os problemas).
Sei que quando acordei achei que o sonho tinha mudado de novo. Fiquei estático, parado na cama. Quando percebi que estava acordado, minha primeira reação foi correr pra frente do espelho...  ._.
Er... Achei esse sonho desnecessário, mas assustador. Acreditem, não é agradável quando usam um carro pra te bater em uma parede... ._.
16:16
Ainda pensando em mim?
você me trata como um brinquedo. eu sou um brinquedo divertido pra você?
Essa lenda urbana das horas iguais não funciona como deveria, sou eu que sempre acabo pensando nos outros por causa disso ._.

0 Comentários

Em algum lugar...
Contos e pedaços aleatórios da minha vida. Quase um diário, quase um poema, quase um livro. Se descobrir o que é, favor contactar contando.
Sakura’s warning: não mexam na groselha na geladeira. Grata.

Quem?

Eu? Bem, não há muito a dizer. Cursando o segundo semestre da faculdade de jogos digitais na fatec, e o sexto ou sétimo modulo do curso de computação gráfica da Saga. Um futuro profissional da área de jogos, ou de qualquer outra área que venha a me aceitar. Um pequeno monstro com um grande fraco pelo Konta.

como me achar?

Já tentou me procurar?
Nyah!
Twitter
DA
Tumblr
msn e email pra contato: renoth@hotmail.com

Button




Seguidores


Arquivos

Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Agosto 2012
Outubro 2012
Novembro 2012
Dezembro 2012
Janeiro 2013
Abril 2013
Junho 2014


C-box


Créditos