Seriam mil?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011 // Postado por Renoth





Não... Talvez dois mil...
Sim, esse é o numero de rascunhos entre a ultima publicação e essa. Daria pra lançar um livro com a quantidade de informação... Aliás, gostei da ideia... Se preparem para o mais novo e maravilhoso livro de editora ainda desconhecida. Enfim... Rápido, qual seria meu tópico??
Viajei para o Rio, voltei a fazer teatro com a Kaya, vou entrar pra equipe do blog do meu namorado (estarei eu podendo isso tudo?)... Mas, apesar de ter falado sobre isso em todos os meus rascunhos QUE VOCÊS JAMAIS VERÃO MUAHAHAHA, o tópico sobre o qual eu desejo discursar nesse momento é um mais chato. Sim, cá estou eu falando de chatice, pra variar.

Homossexualidade. Não, não é o tema direto, é apenas um tema que faz tema de meu tema. Entendeu? Não?
Meu pobre tema de hoje é preconceito, mais especificamente o preconceito em relação a homossexualidade, não necessariamente voltado para a homofobia, e também pensado em dogmas religiosos de um modo geral (voltado, logicamente, pras de cunho cristão). Passei a madrugada pesquisando sobre homossexualidade. Não digo com isso que virei especialista no assunto, nem que sou inteligente o suficiente para uma analise correta de metade do material que o querido amigo google conseguiu me retornar.Ele é tão prestativo que as vezes penso em lhe prestar uma homenagem singela.
Cheguei a uma conclusão perturbadora, porém lógica: O preconceito homofobico ou o preconceito simples pode vir de duas vertentes distintas e quase opostas.
1º)Pode surgir por religião, visto que a mesma já manipulada a muito tempo decidiu tachar de errado tudo que fugia ao que podia ser controlado, entendido e facilmente catalogado. Pode variar em níveis, e eu francamente acho que o mais fraco desses níveis é quando dizem que todos os homossexuais arderão no fogo eterno, enquanto considero a "cura" da homossexualidade através da religião o nível hard do negocio. Mas calma, tentarei falar mais depois de dizer o segundo motivo.
2º)Falta de informação. Não sabe porque, e nem se interessa nele, pois foi preso a ignorancia e não consegue se libertar dela. Vê homossexuais como monstros e a si mesmo como um heroi, que está bravamente lutando para livrar o mundo dessa terrível praga. Não é nem mais nem menos violento que o outro, a medida é a mesma.
O engraçado, é que pelo que vi ambos os grupos acham que o homossexualidade é influencia, doença e/ou escolha do individuo, ou seja, poderia ser algo modificado a qualquer momento desde houvesse a força de vontade necessária para a realização de tal ato.Para aqueles que não acham a ideia ridícula, eu vós digo: essa ideia é ridícula. Ninguém escolhe ser algo tão grotesco e massacrado quanto isso. Segundo os espíritas (religião que em minha humilde opinião foi a menos preconceituosa) é algo relacionado a vidas passadas, um castigo. Também (dentro do que li) era algo que deveria ser evitado, como se essa vida homossexual fosse pra servir de freio a qualquer impulso para só então voltar novamente heterossexual. Estava lendo um livro espírita sobre homossexualidade (Mais forte que nunca) onde os personagens mostravam que era uma condição pura e simples do ser humano, mas como ainda não terminei de o ler, não falarei mais no livro que pra mim acabou por se tornar maçante.
Ok, realmente faz sentido, é uma escolha. Um dia um cara ou mulher (até então hetero) acorda e fala: "ui, agora eu quero!" e pronto. Abandona os planos de seus pais pro futuro, passa a ter medo de se apaixonar por alguém que além de não devolver o sentimento passa a sentir asco da pessoa que o possui, além é claro de desejar o preconceito constante da população e a possibilidade de levar uma lâmpada na cabeça por andar de mãos dadas ou de ser autuado por atentado ao pudor por beijar seu namorado em uma festa (aconteceu sim, em MS, embora isso tenha sido desfeito depois).
Quando eu disse que essas coisas me deprimiam pro Tsuki-sama, ele me respondeu: bem vindo ao mundo real. Sabe, a resposta doeu um pouco, justamente porque ele não estava errado. Eu tenho uma "cúpula de apoio cor de rosa" ou como eu gosto de chamar, tenho minha família. Que está pouco se fodendo pra minha sexualidade desde que eu seja feliz. Às vezes eu esqueço que tem um mundo lá fora que não está pronto pra isso. Mas eu estou fugindo do assunto, foco Renoth, foco.
Para aqueles que dizem que não é natural, um crime a Deus (ignorando completamente o credo dos outros, típico), ou algo abominável, gostaria de lembrá-los ou dar a conhecer a informação de que existem casais gays em varias espécies animais. Golfinhos, Ovelhas, Cisnes, gaivotas, Botos, Elefantes, Girafas, Patos, Leões e isso só pra citar alguns. A "gaylist" animal é gigantesca e segundo a Bíblia Sagrada e imaculada que condena os homossexuais foi Deus que criou as todas as coisas e animais. Mas ora, se Deus criou todas as coisas, e seres inocentes por completo são homossexuais, como isso tudo é algo condenável?? Só eu vejo inconsistências nisso? Outra: apesar da homossexualidade em todas essas espécies, só o homem é homofobico. não é estranho? Ai você me diz: é porque somos inteligentes! Claro, somos geniais. Criamos as guerras, o desmatamento, a bomba nuclear, o aquecimento global hiper ativo, drogas, abandono de incapaz, os sete pecados, e tudo de mais podre que existe no mundo, MAS ainda assim somos os mais inteligentes? Se você acredita mesmo nisso tenho certeza que faz uso de outra péssima criação do homem: o álcool. O meu comentário a respeito é: guarda um pouco pra mim, que só tá dando pra aguentar essa sociedade num estado permanente de porre.
Outra coisa: POR QUE TODO MUNDO ACHA QUE GAYS FORAM ESTUPRADOS?? conheço gays, lesbicas e até um (a) trans-sexual (escrevi corretamente??) e NENHUM deles cometeu ou sofreu abuso. Fora associar isso a pedofilia, vem cá alguém ai realmente acredita que todo homossexual é pedofilo ou tem tara por animais? Porque eu conheço homossexuais que nem interesse pelo sexo propriamente dito tem. Eles se atraem pelo mesmo sexo, mas ainda não se sentem prontos pra transar, então buscam o amadurecimento antes.
Antes de mandar isso pras considerações finais gostaria de comentar sobre um blog que prefiro não citar o nome,  um exemplo da pior espécie. "Por uma sexualidade sem culpa" é seu tema, mas a conversão do homo em hetero é seu objetivo. Chama a bandeira gay de hipócrita e falsa, diz que eles não sabem amar e que é necessária uma correção sexual para a "comunhão com o verdadeiro amor". Alguém conta pra eles que esse termo muda de tempos em tempos e que há 1300 anos mais ou menos se acreditava que o amor verdadeiro só existia entre dois homens? Que isso só mudou por causa de Constantino que se converteu por motivos politicos?
Pra melhorar, o Blog faz parcerias com um certo grupo, famoso mundialmente pelos "ex-gay" que se tornam religiosos e se curaram magicamente. Também famoso por fracassos que levam pessoas a depressões profundas por não conseguirem modificar sua sexualidade em prol de sua religião.Imagine você acreditar em uma divindade e acreditar por muito tempo que ela vai te curar... e ai... nada. Até você entender que você não foi abandonado e que não precisa de cura o efeito disso em você pode ser desastroso. Claro, que isso vai contra tudo que a psicologia, a psiquiatria e cientistas descobriram. Eles desaconselham, desaprovam e abominam tais praticas. Claro, estou falando de profissionais livres de preconceitos e dogmas religiosos, não dos que tentam provar religião através da cabeça dos outros e acaba por fazer algo que poderia ser comparado a Alquimia (arte mágica que consiste na mistura de ciência com dogmas religiosos), que por ironia a igreja desaprova.
O dia do orgulho hetero eu nem comento nesse texto, que, aliás, já fugiu completamente de assunto e que não vai mais voltar atrás. Disse Jesus: Dai a Cesar o que é de Cesar. O que é político é político, o que é religioso é religioso. E não fui eu que disse isso, amor.
Pra encerrar esse texto (ainda vou adicionar uma imagem gay MUITO FOFA no topo, faço questão.) vou postar esse vídeo que é uma animação de nível inacreditável. Uma discussão aberta entre um gay, uma lesbica e um hetero, que são acompanhados por um narrador que media quando acha necessário. o nome da animação é "É uma escolha??" e ela faz parte de um documentário igualmente maravilhoso de nome "For The Bible Tells Me So". Está em inglês, mas é legendado. Novamente: é genial.




E pra encerrar, um pensamentozinho bíblico para aqueles que adoram julgar homossexualidade:
"Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também."
Edite maroto com a ajuda do Tsuki-sama. obrigado Tsuki-sama!!

4 Comentários

Em algum lugar...
Contos e pedaços aleatórios da minha vida. Quase um diário, quase um poema, quase um livro. Se descobrir o que é, favor contactar contando.
Sakura’s warning: não mexam na groselha na geladeira. Grata.

Quem?

Eu? Bem, não há muito a dizer. Cursando o segundo semestre da faculdade de jogos digitais na fatec, e o sexto ou sétimo modulo do curso de computação gráfica da Saga. Um futuro profissional da área de jogos, ou de qualquer outra área que venha a me aceitar. Um pequeno monstro com um grande fraco pelo Konta.

como me achar?

Já tentou me procurar?
Nyah!
Twitter
DA
Tumblr
msn e email pra contato: renoth@hotmail.com

Button




Seguidores


Arquivos

Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Agosto 2012
Outubro 2012
Novembro 2012
Dezembro 2012
Janeiro 2013
Abril 2013
Junho 2014


C-box


Créditos